Faltando 18 dias para o carnaval, a Secretaria de Cultura divulga informações sobre a folia em Dianópolis. Segundo a secretária de Cultura, Ítala Araújo, o carnaval terá a mesma infraestrutura do ano passado: palco, camarotes, banheiros químicos, tendas, entre outros. “A única coisa que não teremos é o Camarote Absolut, que foi terceirizado em 2012”, ressaltou. O carnaval ocorrerá na Praça Liberato Póvoa (praça da Prefeitura), assim como ano passado. Veja abaixo a projeção em 3D do projeto:
 

 
Segundo Ítala, o orçamento do carnaval para 2013 é de R$ 260 mil. Para comprar isso de forma legal, diz ela, a Prefeitura de Dianópolis desmembrou todo o gasto em três áreas, da seguinte forma:
 
- infraestrutura (palco, banheiros químicos, tenda, camarotes, iluminação, dentre outros): via carta convite, que custará até R$ 80 mil. “O edital está publicado no mural da Prefeitura e a abertura dos envelopes ocorrerá amanhã (quarta-feira, 23), às 8 horas”, disse. 
 
- trio elétrico: via pregão (menor preço). Ítala não soube informar o valor. O pregão será divulgado no Diário Oficial do Estado na tarde de hoje e ocorrerá dia 1 de fevereiro, às 8 horas. O trio elétrico fará o fechamento do carnaval dianopolino, percorrendo as ruas da cidade na terça-feira. “Dependendo da empresa que ganhar, poderemos ter o trio saindo por dois dias. Tudo dependerá da negociação, mas é garantido que teremos na terça de carnaval”, detalhou. 
 
- bandas: por inegibilidade de licitação. Valor previsto: até R$ 160 mil. “Trata-se de valor artístico, o que é valor subjetivo, não precisando ter licitação”, justificou a secretária, alertando que há alguns critérios para a contratação. Ítala citou um destes critérios: “a empresa contratada tem que ter uma carta de representação, documento que comprova que a empresa é a representante legal da banda no Tocantins”, detalhou. Até o momento, a Prefeitura diz já ter fechado o cantor Thiago Brava, que se apresentará no sábado de carnaval. “Outras bandas estão sendo contratadas. Até o fim desta semana, esperamos poder divulgar as demais”, projetou a secretária de Cultura. 
 
Cantores locais – A Prefeitura de Dianópolis já fechou com artistas locais para o carnaval. No palco principal, na praça, haverá apresentação da Banda Êxtase (Dinho), Deivinho e Banda, DJ Matheus Cruz e DJ Walif (DJ Ximbica). No balneário Cachoeira (domingo e segunda) terá Walter Guedes (Waltinho) e O Grito da Ralé.
 
Atraso e acusações – Ítala Araújo frisou que não há atrasos por parte da prefeitura: “Assumimos dia 2 e hoje, dia 22, já estamos com o carnaval quase todo pronto. Acredito que fizemos tudo em tempo recorde”. Ítala acusa a administração anterior pela não disponibilidade de recursos no orçamento para o carnaval. Ela comentou que Dianópolis poderia nem ter carnaval. “Todo o recurso investido no carnaval são de emendas estaduais e federais, conseguidas pelo prefeito Reges Melo. Tivemos que trocar o pneu do carro com ele andando”, justifica a secretária.
 
A reportagem do Dnoto.com.br ouviu o ex-prefeito José Salomão sobre as acusações. Ele rebate: “Foi falta de planejamento da parte deles. Tiveram três meses para planejar o carnaval. Mal assumiu e a secretária de Cultura tirou férias e voltou agora. Não fizeram licitação em tempo hábil e tentaram manobra para usar um processo de outro município. Vendo que não era possível, voltaram atrás e agora estão fazendo carta-convite em cima da hora. Foi despreparo da equipe deles”, acusa Salomão. 
 
O ex-prefeito garante ter previsto no orçamento para 2013 verbas para o carnaval. Procurada pelo DnoTO, a área de Contabilidade da Prefeitura confirmou a previsão de R$ 245 mil para Comemorações e Festividades de Natureza Folclórica, alocados na Secretaria de Cultura. “O orçamento é público e foi aprovado pela Câmara dos Vereadores no ano passado. É despreparo deles”, alfineta o ex-prefeito. 
 
O orçamento total da Prefeitura de Dianópolis é de R$ 30 milhões e verbas de outras áreas podem ser transferidas, desde que garantida a fonte de recurso. Para esclarecer o leitor: a administração que deixa a prefeitura faz o orçamento, mas cabe à administração que assume correr atrás das fontes de recursos.