Neste mês de junho, acontece o primeiro embarque experimental de frutas do Projeto de Irrigação Manuel Alves, no município de Dianópolis, a 320 Km de Palmas, para outro país. Ao todo, são 30 toneladas de banana nanica que serão transportadas para a Argentina. Os produtores do Projeto devem bater recorde na produção de bananas neste ano, com 3.200 toneladas da fruta, que já é comercializada para vários estados vizinhos ao Tocantins.

 

A empresa exportadora é a Agropecuária Pilate, dos empresários Rodrigo Adamante e Eloi Pilate, que cultivaram banana em 40 hectares de área este ano e tem expectativa de aumentar para 200 hectares em breve. “Embarcamos a banana para Porto Alegre e de lá vai para a Argentina. Vamos fazer o teste de aceitação com o consumidor e se tudo der certo, vamos fechar contrato com a Argentina e o Chile. A banana é muito boa e estamos confiantes”, comentou Adamante, acrescentando que a negociação foi intermediada por produtores de Porto Alegre.

 

Segundo o coordenador de Assistência Técnica do Manuel Alves, Delmácio Antunes Alves, as qualidades que atraíram o interesse dos argentinos foram o sabor e o volume da produção. A expectativa é em breve aumentar a quantidade de frutas comercializadas. “Temos 20 produtores de banana no projeto, e essa exportação é de apenas um grupo”, informou.

 

O chefe da Divisão do Perímetro Irrigado Manuel Alves, Ítalo Marcel Costa, afirmou que um dos motivos para que o projeto de irrigação seja bem-sucedido é a assistência técnica especializada garantida pela Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) aos produtores. “Para que a produção se desenvolva com qualidade, os produtores têm à disposição a atuação de técnicos responsáveis desde a plantação até a comercialização. São profissionais especializados em questões ambientais, irrigação e a própria segurança da barragem. Esse profissionalismo faz a diferença”, comentou.

 

No Projeto de Irrigação Manuel Alves também há outras atividades de fruticultura como abacaxi, fruta do conde, manga, maracujá e melancia. O diretor de Irrigação e Drenagem da Seagro, João Carlos Farencena, comentou que através da assistência técnica especializada, combinada ao uso de tecnologia de ponta, as outras atividades podem repetir o mesmo sucesso da banana. “A tecnologia empregada fez com que o projeto atingisse um nível de excelência para atender os mercados mais exigentes”, apontou.

 

Para o secretário executivo da Agricultura e Pecuária, Ruiter Padua, o Tocantins é um produtor de alimentos em potencial. “Temos solos férteis e terras planas, alta luminosidade e grande quantidade de água. A expectativa é que a produção cresça de forma constante”, disse.

 

 

Dados

 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a cultura da banana no Tocantins ocupou uma área de 3.673 hectares em 2013, totalizando 23.274 toneladas produzidas. Parte da produção abastece mercados vizinhos, como Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal.

 

 

Manuel Alves

 

Um dos maiores do Brasil, o Projeto Manuel Alves fica em uma área de cinco mil hectares e expansão prevista para mais 15 mil hectares. Dividido em lotes de tamanhos variados que estão sendo explorados com fruticultura, por meio de métodos modernos de irrigação (gotejamento, microaspersão e aspersão convencional). São 199 lotes para pequenos produtores e 14 lotes empresariais.

 

Fonte: Surgiu.com.br