A Sesau – Secretaria de Estado da Saúde - por meio da Diretoria de Vigilância Ambiental realizou no mês de junho, no município de Dianópolis, o Curso de Operacionalização de Unidades Sentinelas para o Programa de Qualidade do Ar – Vigiar, com objetivo de implantar Unidades Sentinela - U.S no âmbito do Programa Vigiar, no Hospital de Referência e demais unidades de saúde do município.

Na ocasião, também foram abordados os temas: poluição atmosférica e seus efeitos na saúde da população. O curso foi ministrado pela Engenheira Ambiental e gerente do Programa Vigiar da Sesau, Danielle Magalhães, e pelo médico Frederico Leão, onde participaram profissionais da Unidade Sentinela, gestores das unidades de saúde, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem da Secretaria de Saúde do Município.

As Unidades Sentinelas implantadas no município de Dianópolis são as primeiras instaladas no Estado do Tocantins, pela Diretoria de Vigilância Ambiental da Sesau.

O Estado do Tocantins é projeto piloto do Ministério da Saúde no processo de implantação de Unidades Sentinelas no país, fazendo parte do grupo de sete Estados prioritários (BA, RJ, SP, RS, TO, AC e MT), sendo a mesma implantada no ano de 2008 no município de Palmas, operacionalizando na Unidade de Saúde da Família do Aureny II.

A proposta é que sejam criadas posteriormente mais Unidades Sentinelas em outros municípios do Estado, com isso estão previstos para o 2º semestre deste ano, a realização de dois cursos para implantação destas Unidades nos municípios de Augustinópolis e Lagoa da Confusão.

Unidade Sentinela

As unidades de saúde sentinelas são aquelas que irão identificar e notificar, quando confirmado, os casos de doenças/agravos referentes ao diagnostico de asma.

Trata-se de unidades físicas, onde seja possível observar operacionalidades e custos passiveis de serem absorvidos pelos níveis locais do sistema de saúde, e que utilizem a infra-estrutura de recursos humanos e matérias preexistentes.

As informações produzidas a partir dos dados de vigilância para monitoramento das tendências dos eventos sob o escopo da notificação serão de utilidade na avaliação, planejamento e programação das ações pertinentes ao Vigiar. (Viviane Nolêto)

Fonte; Secom-TO