Os apreciadores de artesanato e de comidas típicas da região sudeste terão um bom motivo para sair de casa nesse fim de semana. Acontece nos dias 22 e 23, na praça Coronel Abílio Wolnei, a primeira Feira de Artesanato de Dianópolis. O evento contará com a participação de 15 expositores e terá como objetivo fomentar o artesanato regional.
 
Porta-joias, bolsas, suporte para copos e pratos (jogo americano), porta-retrato e vasos fabricados a base de capim dourado e resina; além de bordados e comidas típicas da região são alguns dos produtos que estarão disponíveis aos visitantes durante a feira.
 
Dentro desse contexto e visando contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos artesãos da região de Dianópolis, o Sebrae intensificará suas atividades junto aos expositores, realizando capacitações, treinamentos, reuniões para agregação de valores dos produtos, trabalhos de autoestima e comercialização dos artesanatos.
Além disso, a instituição realizará também uma palestra sobre empreendedorismo. De acordo com o palestrante e gerente do Núcleo Regional Sul da instituição, José Carlos Bessa, é através das técnicas de empreendedorismo que o artesão desenvolverá suas habilidades e competências relacionadas à criação de um projeto, seja ele: técnico, científico ou empresarial.
 
“É fundamental que os artesãos tenham a consciência que a atividade é um negócio lucrativo, por isso não pode ser tratado como fonte de renda esporádica ou sazonal. Para mudar esse quadro é preciso alguns requisitos, dentre eles, que seus produtos prezem pela qualidade e que a produtividade deve ter como parâmetro a grande escala. Portanto, feiras como essa servem como exemplos para que os artesãos percebam a força do artesanato como possibilidade de melhoramento da qualidade de vida e a vantagem de se trabalhar em equipe”, comentou o gerente.
 
Segundo a superintendente do Sebrae, Márcia Rodrigues de Paula,  o artesanato caiu como uma luva, principalmente, porque estas mulheres precisavam encontrar algo que melhorasse a autoestima e, se possível, contribuísse com uma renda extra para suas famílias.
 
“A nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento local sustentável dos pequenos negócios, estimulando e fomentando o empreendedorismo. As comunidades que tem apostado no artesanato, já perceberam que a atividade tem sido uma excelente opção para o melhoramento da qualidade de vida da família, pois a ideia é que o artesanato seja mais uma fonte geradora de renda”, acrescenta a superintendente.
 
O projeto
 
O gerente José Carlos Bessa esclarece que o apoio ao evento faz parte das ações do Projeto Território da Cidadania Sudeste executado pelo Sebrae/TO. O objetivo é ampliar o atendimento aos micro e pequenos negócios nas áreas urbanas e rurais, atuando nos diversos segmentos econômicos existentes (agronegócios, indústria, comércio e serviços) e implementar a Lei Geral das micro e pequenas empresas (MPEs) nos municípios que compõem os Territórios da Cidadania.
 
“Nossa estratégia é ampliar o número e a abrangência dos atendimentos do Sebrae no Território, como também criar um ambiente de negócios favorável para as micro e pequenas empresas existentes. O Território, composto por 25 municípios, possui 2.660 pequenos negócios, representados por microempresas, pequenas empresas, microempreendedores individuais, produtores rurais e potenciais empresários”, conclui o gerente.
 
A feira, que está sendo organizada pela Associação Dianapolina de Artesãos, terá em sua programação, além dos stands de artesanatos, shows com artistas locais, oficinas de artesanato e apresentação de capoeira. A abertura do evento acontecerá às 19h no dia 22/03.