A XIII Feira de Negócios de Dianópolis (Fenedian) superou as expectativas dos organizadores. O evento que aconteceu na Praça Coronel Abílio Wolney, entre os dias 10 e 12 de outubro, teve um formato inovador em relação às edições anteriores, onde contou com 15 stands voltados para a exposição de produtos da região, além da exposição de concessionárias e uma vasta programação de educação empresarial e cultural. Cerca de seis mil pessoas visitaram o local durante os três dias de feira. 
 
Em sua programação a Fenedian contou com palestras, workshop e rodada de negócios entre bancos e empreendedores da região, que obteve uma movimentação financeira de cerca de R$ 90 mil. Segundo Edevaldo Palmeira, que junto com sua Irmã, Cristina Ângela Palmeira, atua no ramo varejista, as rodadas de negócios foram muito produtivas. “Foi possível tratar de financiamentos e outros serviços com os bancos, porque todos estavam presentes e acessíveis para fazermos negociações”, explica Palmeira.
 
O empreendedor no ramo de móveis planejados, Juarez Azevedo Bandeira Júnior, disse ter sido muito boa a sua participação na rodada de negócios do evento. “Foi possível conversar diretamente com os bancos e com isso abrir portas para financiamentos que atendam a nossa necessidade”, destaca. 
 
O gerente do Núcleo Regional Sul do Sebrae, José Carlos de Bessa, conta que a feira superou todas as expectativas, tanto no volume de negociação financeira quanto no número de visitantes. “Todos os objetivos do evento foram alcançados, foi dada visibilidade para os produtos da região e foram levados mais informações e conhecimentos sobre questões de interesse da comunidade, como a palestra sobre compras governamentais”, frisa Bessa.
 
O presidente da Associação Comercial e Industrial de Dianópolis (Acid), Weberly de Sousa Matos, comemora os resultados. “Conseguimos resgatar a feira, que não aconteceu ano passado, além de fazer um evento bem organizado e com boa estrutura”, ressalta Matos.
 
A realização da Fenedian foi da Acid e contou com patrocínio do Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas do Estado do Tocantins (Sebrae) e do Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado (CDE).
 
Fonte: Ascom Sebrae-TO