O Governador Siqueira Campos e o Chefe do Departamento de Engenharia do Exército Brasileiro, General Joaquim Maia Brandão Júnior, assinaram nesta segunda-feira, 10, convênio no valor de R$ 38 milhões para construção e recuperação das rodovias TO-040 e TO-110, na região sudeste do estado. Os recursos são provenientes dos cofres estaduais.
 
As obras vão melhorar o tráfego entre as cidades de Dianópolis, Novo Jardim, Ponte Alta do Bom Jesus, Taguatinga, Aurora, Lavandeira, Combinado e Novo Alegre. Para o Governador Siqueira Campos, a parceria com o Exército vai garantir asfalto de qualidade em 213 quilômetros de estradas na divisa do Tocantins com os estado da Bahia e Goiás. “Temos que investir muito mais nas rodovias do estado”, afirmou.
 
De acordo com o General Joaquim Maia Brandão Júnior, as obras devem ser concluídas em 18 meses. “Após a assinatura desse convênio essa obra torna-se uma missão; e para um militar uma missão tem que ser cumprida. Dessa forma, estar aqui no Estado é de grande valor para nós”, declarou.
 
O presidente da Agência de Máquinas e Transportes do Estado do Tocantins (Agetrans), Kaká Nogueira, destaca que a parceria com o Exército traz grandes benefícios para o Estado, desde a agilidade no processo burocrático até mesmo no valor da obra. “Por ser executada pelo Exército é dispensada a realização de licitação, apenas firmamos o convênio e, além disso, o valor é 35% menor do que o de uma empresa privada, trazendo uma economia de mais de R$ 15 milhões para os cofres públicos tocantinenses”, ressalta.
 
As obras
O Departamento de Engenharia do Exército (DEC) será o responsável pela execução dos trabalhos. Conforme o General Wagner Oliveira Gonçalves, diretor de Obras e Cooperação do Exército, já existe uma equipe composta de 12 trabalhadores (técnicos militares e da Agetrans) instalada no município de Taguatinga, a 447 Km de Palmas, realizando os levantamentos prévios para início efetivo dos trabalhos, previsto para final do mês de julho. “Nossa experiência em obras é muito grande já que treinamos nossas tropas de maneira a prepará-los para a guerra executando uma atividade real, deixando uma obra física para a sociedade”, observa o general.
 
Sobre a tecnologia a ser aplicada na obra, o general destaca a utilização de um equipamento que recicla o material retirado da própria estrada e o reutiliza na reforma ou construção. “Temos uma recicladora que aproveita o próprio material da estrada para restauração dos trechos. Esta é uma situação moderna fazer as obras em coordenação com a parte ambiental”, observa o general.