Os médicos que atuam em todos os hospitais públicos do Tocantins decidiram acompanhar a decisão de Palmas para realizar uma paralisação nas unidades de saúde nos dias 1º, 2 e 3 de fevereiro. A decisão foi tomada na noite de ontem em Assembleia Geral Extraordinária em Araguaína, quando a classe se reuniu para discutir a situação dos pagamentos dos direitos da categoria e as atuais condições de trabalho.

De acordo com o Sindicato dos Médicos do Tocantins (Simed-TO), a paralisação se dará com a suspensão dos atendimentos em ambulatório e os procedimentos eletivos, mantendo-se apenas os atendimentos em urgência, emergência e pacientes internados nas unidades hospitalares. Também foi aprovado o estado de assembleia permanente dos médicos, para futura deliberação sobre a instauração da greve na categoria, caso o governo estadual continue a descumprir o acordo com a categoria.

Ainda segundo o Simed-TO,  o estado de assembleia permanente dos médicos foi aprovado para futura deliberação sobre a instauração de greve na categoria. Os profissionais reivindicam melhores condições de trabalho nos hospitais e pagamento de progressões funcionais, insalubridade, produtividade e adicional noturno. 

Em nota, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) informou que os atendimentos as urgências e emergências serão mantidos em todas as unidades hospitalares do Estado. 

 

Fonte: Jornal do Tocantins