Com quatro meses de salários atrasados, os professores da Faculdade para o Desenvolvimento do Sudeste do Tocantins (Fades), do grupo Unisaber, em Dianópolis, podem em entrar em greve. A informação é do vereador e acadêmico do quinto período do curso de Direito da instituição, Jurimar Júnior (PV). “Além do quadro dos docentes ser pequeno, eles já pensam em interromper as atividades. Os alunos estão muito preocupados, pois, apesar de estarem em dia com a mensalidade, podem ficar sem aula”, disse.
 
O parlamentar contou ainda que a Fades já propôs quatro acordos com a categoria, mas nenhum foi cumprido. “Nenhum deles foi cumprido. Já aconteceram várias paralisações anteriormente, muitas motivadas pelos alunos, que buscaram de toda forma a solução dos problemas”, contou.
 
Jurimar Júnior enfatizou que o Ministério Público de Dianópolis já foi procurado. “O órgão prometeu que seria aberto um Inquérito Civil Público e caso não fosse regularizada a situação os alunos entrariam em contato com o órgão para formalizar a denúncia. Os alunos já não sabem mais o que fazer”, criticou o parlamentar.
 
Há informação, segundo o parlamentar que, o presidente da instituição André Pinto e diretor geral Cecílio Pinto já foram presos por estelionato.
 
Jurimar Júnior lembrou que, Cecílio Pinto mora em Brasília e não atende aos contatos tentados pelos acadêmicos. “Na Fades em Dianópolis nenhum funcionário tem resposta para dúvidas existentes. Os problemas tendem a aumentar”, garantiu.
 
"Nós acadêmicos não queremos que a Fades feche as portas, mas sim que a situação seja regularizada. Eu, enquanto vereador e acadêmico estou em defesa dos interesses da sociedade de Dianópolis e região, pois nossa cidade é um polo na região sudeste e a faculdade é de grande importância para todos".
 
Atualmente Fades tem cerca de 400 alunos, oferece os cursos de Administração, Direito, Contabilidade e Gestão Ambiental e cobra a mensalidade é de R$ 666.
 
Fonte: Matéria copiada na íntegra do site Jornal Porto News