A prefeitura iniciou a reforma da praça Francisco Liberato Póvoa, mais conhecida como praça da prefeitura. Os trabalhos começaram com a poda de galhos frondosos da figueira – árvore centenária que fica no meio da praça –, o que assustou algumas pessoas no local.

Um morador, que não quis se identificar, entrou em contato com o DnoTO e denunciou a tentativa de derrubar a figueira: “É uma árvore centenária e em todos os cantos do mundo as pessoas a cultuam”, citando o exemplo de Paris e Buenos Aires, onde as figueiras são admiradas pelos moradores e turistas.

A reportagem do DnoTO entrou em contato com o secretário de Meio Ambiente, Turismo e Cultura de Dianópolis, Jadson de Aguiar Teixeira, que negou a intenção de derrubar as árvores maiores da praça e explicou: trata-se apenas de uma poda de galhos que estavam, segundo ele, comprometidos. “Quando armava tempo de chuva e começava a ventar, os taxistas da praça retiravam os carros. Eles nos procuraram e pediram para tirar alguns galhos”, informou.

Segundo ele, a reforma prevê a retirada de árvores menores, que serão substituídas por outras. Já a figueira e outras maiores, localizada no centro da praça, serão mantidas e “terão apenas alguns galhos comprometidos removidos”. Segundo Jadson, 80% da poda foi concluída e o restante da remoção de galhos ocorrerá nesta terça-feira, no lado da praça voltado ao Banco do Brasil. Para este trabalho estão envolvidos técnicos da prefeitura, do Dertins e Celtins.

Abandono
O secretário de Meio Ambiente informou que a prefeitura tomou a iniciativa de reformar a praça porque o local estava abandonado. “Há 12 anos que ninguém faz nada por este espaço. Como o local é escuro, por conta inclusive dos grandes galhos da vegetação central, encontramos latinhas de cerveja, litros de pinga e até indícios de outras drogas”, denuncia o secretário.

A intenção, diz ele, é que o local seja revitalizado e entregue a população para que possa voltar a ser frequentada, fato que não estaria ocorrendo, segundo Jadson, pelo abandono e escuridão.

Uma nova praça
A nova praça será toda refeita, promete Jadson. O projeto prevê a remoção de todas as calçadas, passagens de concreto, bancos, gramas e árvores menores. “Só ficarão as árvores maiores, da parte central”, detalhou. Após a remoção, haverá o nivelamento da praça. Toda essa primeira etapa será feita com recursos humanos e maquinários da prefeitura.

Posteriormente, será feita licitação do projeto arquitetônico, para construção de duas fontes de onde jorra água – uma na parte inferior, próximo à prefeitura, e outra na parte superior, próximo ao Tarantas; reconstrução de bancos, calçadas, gramas, plantio de novas árvores e nova iluminação no local.

A estimativa do secretário é que toda a obra custaria cerca de R$ 300 mil, mas resolveram fazer a demolição da estrutura atual com recursos próprios, “o que deve baratear uns R$ 30 mil”, projetou.

Assim, nos próximos dias deverá ser feita licitação. A empresa vencedora pegará a praça já nivelada e pronta para receber as novas estruturas.

Apesar de não haver uma data formal, o secretário de Meio Ambiente estima intenção de inauguração para dezembro: “Seria um presente de natal para a cidade ter o seu cartão postal renovado”.

Fotos

Abaixo, algumas fotos enviadas pelo secretário Jadson. Nas primeiras, ele diz comprovar o mau estado de alguns galhos. Mais abaixo, fotos do projeto de como ficará o espaço após a reforma.

Alguns galhos que estariam comprometidos, segundo prefeitura

 

Alguns galhos que estariam comprometidos, segundo prefeitura
Alguns galhos podados e que geraram revolta em alguns moradores
Projeção da nova praça
Projeção da nova praça
Projeção da nova praça