Com sete municípios atendidos, o Núcleo Regional da Defensoria Pública em Dianópolis realizou 24 palestras com rodas de conversa e quatro oficinas do Projeto DefendECA, contemplando cerca de 971 pessoas, entre 775 alunos e 196 pais, professores e técnicos das Redes de Proteção à Crianças e aos Adolescentes.
 
As atividades foram executadas pelos Defensores Públicos que atuam na Região, Analistas Jurídicos, Analistas em Serviço Social e Pedagogia, entre os dias 11 e 30 de outubro, nas escolas Abílio Wolney, de Dianópolis; Joana B. Cordeiro e Buritizinho, de Arraias; Colégio Estadual Dr. João DAbreu, de Novo Alegre; Colégio Estadual Professora Ranufa, de Aurora; Escola Estadual Justino de Almeida, de Taguatinga. Ainda serão realizadas ações nos municípios de Taipas e Conceição do Norte, nos dias 29 e 30 de novembro, esperando atingir mais de 1.200 pessoas.
 
O Projeto DefendECA em sua 6ª Edição propôs abordar o tema Violência Sexual Contra Criança e Adolescente na perspectiva da garantia dos direitos sexuais como direito humano. A abertura das atividades do Projeto pela Defensoria Pública em Dianópolis foi feita no dia 10 de outubro, com a participação de técnicos da rede de proteção e defesa dos direitos das crianças e adolescentes dos municípios de Almas, Porto Alegre do Tocantins, Rio da Conceição, Novo Jardim, Taipas e Conceição do Tocantins.
 
O diretor regional e defensor público, Daniel Silva Gezoni, falou sobre o papel da Defensoria junto às redes de proteção, apresentou o Projeto e fez uma ampla discussão sobre a temática relacionando as demandas de atendimentos e formas de prevenção no Núcleo de Dianópolis. Em seguida, como proposta do Projeto foi realizada uma oficina para debater a situação da violência sexual nos municípios que são atendidos pelas Defensorias de Dianópolis e Almas. Foram mobilizadas e articuladas todas as forças ativas que compõem a rede de proteção de Dianópolis e municípios vizinhos (CREAS, Pastoral da Criança, CAPS, Hospital Regional, Secretaria Municipal de Saúde, Escola Municipal e Estadual, Conselho Tutelar, Amor exigente, Polícia Militar), participando, analisando e traçando um perfil do seu município, com a elaboração de um plano de enfrentamento da violência sexual de crianças e adolescentes, bem como proposta para serem executadas a curto, médio e longo prazo. A agenda, que será efetivada a partir de 2013, está em fase de elaboração e é única para todos os municípios.
 
As analistas em serviços social e pedagogia Cilda e Gledes Oliveira Costa ressaltam que esse contato com crianças e adolescentes, pais e técnicos da área de serviço social, pedagogia, psicologia, direitos humanos, Polícia Militar e Civil, Ministério Público, fortalecerão a rede de apoio, bem como irão garantir a efetivação dos direitos de crianças e adolescentes e formar protagonistas para discussões da temática Violência Sexual contra Criança e Adolescente.
 
Os alunos Itallo Brenner da Silva, presidente do Grêmio Estudantil, e Maysa Lira Barbosa acharam de suma importância o trabalho realizado pela Defensoria Pública em Dianópolis, que segundo eles, as crianças, adolescentes e pais precisam muito dessas informações sobre violência sexual, mas infelizmente os pais que mais precisavam participar não compareceram. Os alunos sugeriram fazer palestra com todas as turmas do Ensino Fundamental e Médio, pois quanto mais conteúdo transmitir, mais aprendizado e conhecimento a todos os alunos. O aluno Ítallo citou como exemplo uma mãe que deixou sua filha de 13 anos com o padrasto, e este abusou sexualmente dela e a engravidou. O aluno mostrou-se revoltado com essa situação, e disse que se pudesse fazer alguma coisa pela adolescente faria, pois considera um momento muito difícil.