Mais de 1.200 alunos da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) retomaram as aulas na última terça-feira, 17, nos campi de Araguatins, Augustinópolis e Dianópolis após aula magna realizada segunda-feira, 16, que marcou o início do ano letivo. Ao todo, a instituição tem 1.811 alunos no Estado, contando com o campus de Palmas.

Um acordo firmado entre o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Unitins foi homologado na semana passada, prevê mais prazos e flexibilidade para que a instituição retome o calendário acadêmico de 2015.
A reitora da instituição, Elisângela Glória Cardoso, ressaltou a função social da Unitins para o desenvolvimento do Estado e citou que a conquista foi um esforço árduo, fruto de muita dedicação e articulação. “Essa vitória para retorno das aulas e continuidade da Unitins nos campi não é individual nem de segmento, é uma vitória coletiva, porque é do Estado, especialmente da sociedade tocantinense”, afirmou.

Em junho do ano passado a instituição fez um acordo com o Ministério Público do Trabalho e firmou compromisso para não contratar professores nem servidores na área administrativa, porém não cumpriu o acordo. “O Ministério Público entendeu a necessidade emergencial que a instituição vive e acabou dilatando o TAC [Termo de Ajustamento de Conduta] para a contratação dos professores”, reforçou a reitora.
O juiz da Vara Cível de Dianópolis, Jossaner Nere, pontuou que a assinatura do TAC foi a melhor alternativa para o impasse e trará impacto positivo na vida de muitos tocantinenses que buscam formação superior. “Vejo o retorno como uma conquista importante, já que o sudeste do Estado necessita dessa faculdade para o desenvolvimento regional”, avaliou.

Ítala Holanda tem 40 anos e está no oitavo período do Curso de Direito no campus de Dianópolis, sudeste do Estado. Ela conta que ficou feliz e satisfeita com a notícia do reinício das aulas. “Nós estamos bastante animados, sempre estivemos certos de que ia ficar tudo bem, porque a Unitins sempre nos passou essa confiança”, disse. Ela conta que a instituição propiciou que ela realizasse seu sonho de ser advogada. “A Unitins, para mim, é a realização de um sonho de muitas pessoas, não só de Dianópolis, mas de toda a região”, frisou.

Da redação, com informações da Secom-TO