Geraldo Neto

Um avião pairava sobre a cidade, preparando-se para pousar no aeroporto de Dianópolis, mas a chuva forte que caia impediu a descida. O folião foi pousar em outras bandas. A véspera do carnaval deu o tom de como seriam os dias de folia: debaixo dágua. O povo devoto e pecador sabia o milagre, mas não o santo. Era São José.

Emotivo como nunca, ele acompanhou de perto o carnaval da cidade que levou seu nome. Foi Duro. Duro de ver tanta alegria e tristeza juntas, sem se emocionar.

O sábado amanheceu quente. Certamente reflexo da alegria irradiante do coração do santo padroeiro. Com tanta felicidade cá embaixo, lá no alto São José também sorria. Tanto que chorou de emoção, cobrindo de água sagrada os foliões que desciam a Avenida 7 de Setembro, cantando, dançando e se abraçando. A água celestial caiu como um combustível no fogo de amor, confraternização e união que ali reinava. 

Em sendo uma festa da carne, feita de gente de carne e osso, não faltavam entre nós cinzas atributos humanos, bem diferentes dos coloridos tons celestiais que rodeiam São José lá no alto. Com os olhos cheios de tristeza, nosso padroeiro viu também desfilar o exagero, a falta de bom senso, a inveja, a estupidez, dentre outros componentes que embalavam o bloco da fraqueza humana. Eles também estavam lá, em desarmonia e descompasso com os confetes e tamborins dos homens de boa fé. 

Os dias seguiam assim, entre altos e baixos com a disputa entre o bloco do bem e do mal. Era notória a disputa por espaço no coração de cada folião, em cada rua e em cada lar.

A terça-feira amanheceu cinza, antecipando o fim melancólico daqueles dias de algazarra. Em meio a exagerados gritos e sons, o barulho que mais ecoou foi o grito de dor de um filho da terra, que partiu naquela madrugada chuvosa, triste e pesada.

Além de lágrimas, agora sangue e pesar desfilavam no fúnebre bloco da dor, naquela mesma avenida onde tudo começou.

Geraldo Neto é radialista, adora carnaval, mas está cada vez mais desanimado e triste com essa esculhambação toda; pós-graduado em Assessoria de Comunicação e membro da Academia Dianopolina de Letras.