Zanone Rodrigues

Na longa vida de estudante passei por muitas situações difíceis; mas por outro lado, também presenciei cenas hilariantes, inesquecíveis, como esta que hoje amanheci me
lembrando:

Era um colega daqueles folgados, casado e mesmo assim um playboy incorrigível. A praça Universitária era a extensão de seu escritório, seu paraíso, seu mundo, e aquele bendito
curso, a carta de alforria de que ele necessitava para fugir da mulher. Quando eu o conheci, já estava lá há sete anos (o curso era de apenas quatro e ele não tinha concluído
nem a metade dele). O certo era que sabia o nome de todo mundo, principalmente o das meninas e marcas de cerveja; e assim, decorar matéria era tarefa quase impossível,
justificava ele,"era muita informação pra uma cabeça só", (e principalmente cheia delas: mulheres e cerveja).

Até que um belo dia o professor de Administração, um senhor ranzinza e de pouca disposição pra malandragem, numa bendita prova oral perguntou ao meu “articulado” colega, quem
teria sido o grande Administrador Henry Ford, que falasse apenas um pouco sobre sua biografia, e ele como sempre dez(embaraçado), respondeu com a habitual embromação de
conquistar namoradas na praça:
“Professor! – Exclamou ele tentando segurar a voz e corpo de pé. Este administrador não seria aquele “cara” que certa vez morou na Inglaterra, e após alguns estudos se mudou pra
Alemanha e se não estou enganado, concluiu um importante projeto ali entre a Suíça, Suécia, Holanda e (...) ???!!!!

Não tem nada de iiii não rapaz, não me interessa saber em que inferno ele andou não, quero apenas saber quem foi ele. Interrompeu o professor já esmurrando a mesa.

Ah! Professor, agora saber quem foi ele, eu também não sei não. “Era o que ele sabia”.
Nem o sisudo mestre conseguiu segurar a gargalhada.

E acho até que o incomparável Chico Anysio criou o famoso “Rolando Lero” inspirado neste meu colega inesquecível.

 

Zanone da Água Boa Rodrigues é poeta de cordel.